Rapper Edgar apresenta show no Rencontres Trans Musicales, na França


No dia seis de dezembro, o rapper brasileiro Edgar realiza show no tradicional festival Rencontres
Trans Musicales, na cidade de Rennes, na França. A apresentação conta com o apoio do Brasil Music Exchange – projeto de auxílio à exportação de música desenvolvido desde 2002 por meio de uma parceria entre a Brasil Música & Artes (BM&A) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).


De família retirante nordestina, Edgar começou a trabalhar a música e a rima de improviso em 2009. O artista ganhou destaque na música brasileira em 2018, ao compor rimas no aclamado disco “Deus é Mulher”, de Elza Soares. A repercussão da parceria fez nascer o álbum “Ultrassom”, no mesmo ano, com produção de Pupilo (ex-baterista da Nação Zumbi) e letras sobre um Brasil absurdo. Na mesma época o artista já havia lançado dois singles: “O amor está preso” e “Plástico”. Isso sem contar os discos em que participou como cantor da Nomade Orquestra.


Para o artista, a sensação de fazer parte do Trans Musicales é a de arrebatamento, responsabilidade e de gritar as verdades omitidas no nosso país. “Não estou indo pra uma viagem na Disneylândia, estou indo pra uma missão espiritual”, ressaltou.


Em entrevista ao BME, Edgar conta como foi o início da carreira solo: “eu gravei minha primeira música em 2010 e fiz minha primeira performance em 2014. Conheci a Nomade Orquestra em 2016, e através deste trabalho o diretor de arte Renan Soares me convidou para fazer performance e recitar poesias com a força da música instrumental do grupo”, ressaltou Edgar. E completou: “foi uma grande faculdade pra mim esse período, agora o foco é voltar a fazer isso no meu trabalho solo”.


As referências musicais da família nordestina junto aos gostos do irmão, fizeram com que o artista chegasse ao timbre de suas músicas e até temas melódicos em seu som: “minha estrutura familiar é de retirantes nordestinos, meu irmão e eu nascemos em São Paulo, mas crescemos numa casa do norte, então, ver meu pai escutando repentes, baião e xaxado disputando volume com meu irmão que escutava muita música eletrônica, rock, hip hop e new metal, influenciando minhas escolhas”, comenta o rapper.


O músico revelou ser muito grato pelo apoio em performances como a do festival Trans Musicales . “Essa é a terceira vez que vou à França, mas também já fui uma para Portugal, no MIL festival”. 


Edgar ressaltou ter diversos sonhos, tais como realizar alguns roteiros de filme e desenvolver instalações sensoriais, exposição dos figurinos criados por ele mesmo e outras obras que permeiam o mundo das artes plásticas.


O rapper já está confirmado como atração no festival Lollapalooza 2020.


Ouça aqui o álbum “Ultrassom” do artista

 


Sobre o Trans Musicales


O evento reúne anualmente artistas do mundo todo, sempre no mês de dezembro, na cidade de Rennes, na França.


Como parte desse projeto artístico e cultural, a Rencontres Trans Musicales é o primeiro festival a oferecer todos os anos, desde 1979, uma exploração das principais tendências musicais.


Nascido do desejo de conhecer o público de artistas de Rennes, o Trans assumiu rapidamente um cargo regional, nacional, europeu e finalmente internacional desde o final dos anos 80.


A filosofia do festival é concretizada por trabalhos exploratórios, que permitem descobrir novos movimentos musicais, atrair jovens músicos e incentivar qualquer expressão artística inovadora por meio de uma ação cultural evolutiva.


Sobre o BME


O Brasil Music Exchange (BME) é um projeto de auxílio à exportação de música desenvolvido desde 2002 por meio de uma parceria entre a Brasil Música & Artes (BM&A) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Para essa finalidade, o BME realiza diversas atividades de promoção de negócios e imagem internacional.