NOTÍCIA


Empresas brasileiras na WOMEX

07/10/2013

Esse ano, a WOMEX (World Music Expo), um dos eventos anuais mais importantes de música da Europa, acontecerá em Cardiff, Wales, UK. De 23 a 27 de outubro, as pessoas encontrarão oportunidade de networking para a indústria da world music, além de buscar novidades para o mercado de shows.

Até o momento, 12 empresas brasileiras participarão da WOMEX 13 em parceria com o Brasil Music Exchange são elas: Agogô Cultural, FRG Cultural, Pessoa Produtora, MR, Água Forte, Ginga, Scubidu Music, Euforia Produções, Litoral Produções ArtísticasManaxica Produções, Fina Produção, Mills. Além de três grandes instituições parceiras do BME: Sebrae-RJ, Sedac-RS e SecultBA.

A SecultBA (Secretaria de Cultura da Bahia),  promove a internacionalização de música brasileira do Estado da Bahia através da disseminação de produtos e distribuição de compilações promocionais. Um desses projetos é o Bahia Music Export em colaboração com a Coordenação de Música, entre os artistas que já participaram desse projeto,  Lucas Santtana, Baianasystem, Samba Chula de São Bráz, OQuadro e Os Nelsons se apresentaram fora do Brasil.

 

O objetivo do Bahia Music Export é promover a difusão da música baiana e a sua inserção profissional no mercado mundial. O BME conversou com a assessora de relações internacionais da SecultBA, Monique Badaró, para relatar qual a importância de ser uma parceira do programa.

BME: Qual a importância da Womex para a SecultBA?

MB: Womex é um espaço de comunicação com os agentes do setor internacional de música onde trocamos informações, realizamos contatos, articulações, difundimos a produção musical da cena independente da Bahia, onde buscamos nos inserir enquanto atores também do campo internacional da música.

BME: Quais ações internacionais a SecultBA desenvolve para seus artistas?

MB: Distribuição de material promocional – coletâneas e informações sobre artistas, intercâmbios musicais, participação de artistas em festivais, convites a empresários e jornalistas visitarem a Bahia e conhecerem a produção contemporânea e realizarem negócios e matérias, programas de rádio, apoio a turnês, residências de criação.

BME: Quais artistas associados à SecultBA já se apresentaram fora do Brasil?

MB: Lucas Santtana, Baianasystem, Samba Chula de São Bráz, OQuadro, Os Nelsons.

BME: Qual a influência do Encounters, ação promovida pelo Brasil Music Exchange, sobre as ações internacionais da SecultBA?

MB: Excelente, gera sempre enorme desdobramentos, oportunidade aos artistas/empresários se preparem melhor para apresentar seus trabalhos/artistas, receber feedback do mercado estrangeiro, formar redes, criar relacionamentos.

BME: Como ocorre o processo de seleção de músicas para compilações promocionais veiculadas em feiras de negócios e festivais mundiais de música, como a Womex?

MB: Realizamos seleção pública aberta portanto a todos os interessados que tem a possibilidade de inscrever seus trabalhos e convidamos curador com conhecimento do mercado internacional para realizar a seleção.
Quais as vantagens da SecultBA ser parceira do programa Brasil Music Exchange? Em quais aspectos essa parceria fortalece a exportação de música baiana?

Complementaridade ações conjuntas, troca de informações e conhecimentos.