NOTÍCIA


Radialista francês passa por imersão na cena de jazz brasileira

17/05/2016



De 12 a 18 de maio, o Brasil Music Exchange (BME) - projeto de internacionalização de música brasileira, realizado por meio de parceria entre a BM&A e a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) – recebeu o diretor da rádio TSF JAZZ, Sébastien Vidal. O profissional participou de agenda durante o Sampa Jazz Fest que incluiu rodada de negócios, palestra e os shows de Bixiga 70, Vruumm, Ricardo Herz Trio, Sidmar Vieira Quinteto, Projeto Coisa Fina e Trio Corrente.

"Atingimos o objetivo de construir frente a um formador de opinião super influente na França e na Europa uma imagem mais forte sobre a cena de música brasileira, que vai além dos estereótipos conhecidos mundialmente. Ele se mostrou tão empolgado que quer construir uma parceria ainda mais estreita conosco e já pensa em futuros trabalhos na França, tais como lançamento de artistas e coletâneas em sua rádio e maior presença de brasileiros em seu clube de jazz e festivais", comenta o gerente do BME, Leandro Ribeiro.

O profissional divulgou os artistas e o festival na rádio na semana anterior ao evento e irá levar ao ar neste final de semana dois programa especiais sobre o evento, no sábado e no domingo às 20h horário da França (15h aqui no Brasil). O radialista comentou que foi uma experiência muito rica conhecer novos artistas e perceber que o Brasil tem uma cena pulsante deste ritmo musical. “Na Europa, conhecemos muito samba, bossa nova e artistas como Gil e Caetano, temos pouco contato com novos músicos. Por isso, achei muito interessante conhecer esse jazz com forte raiz brasileira”, comenta. E completa: “quero que seja o começo de uma parceria de longo prazo, pois vejo muito potencial para desenvolver um trabalho forte na França”.
 

Para escutar a transmissão, acesse www.tsfjazz.com/player.html. O nome do programa é JazzLive.


No dia 15, Sébastien ministrou palestra sobre o “O mercado jazzístico na França e na Europa” para um público de cerca de 30 empresários/artistas. Detalhou como funciona a programação da TSF JAZZ - única rádio francesa que transmite diariamente esse ritmo musical 24 horas, com um alcance de 300 mil ouvintes/dia. Comentou de que forma a presença nas rádios pode impulsionar a visibilidade de artistas.

Explicou ainda como deve ser feito um planejamento de carreira para o mercado europeu, detalhando todas as relações entre artistas, empresário, gravadoras, editoras, RPs, booking agents, casas de shows e meios de comunicação. Sébastien também atua como programador de importantes casas de show de jazz, como a Duc des Lombards, uma das mais antigas de Paris (1984), onde promoveu mais de mil shows, e é diretor artístico de festivais renomados, como o Django Reinhardt Festival e o Nice Jazz Festival.



“Estamos em uma situação muito melhor do que há anos. Antigamente, os artistas dependiam de ter uma grande gravadora para fazer o trabalho de divulgação, pois dominavam todos os meios. Agora, com a tecnologia e partindo do princípio de que você tem uma boa música, qualquer um pode planejar e fazer um bom trabalho internacional”, comentou. Segundo ele, os artistas que trabalham de maneira profissional e focam em desenvolver negócios através de um plano consistente certamente obtêm sucesso.

"Utilizamos a força de cada um dos parceiros para que esta imagem positiva fosse construída, desde o empresário do Trio Corrente, Jacques Figueras, e participante do Brasil Music Exchange que fez a aproximação com o jornalista, passando pelos artistas, produtores e empresários que proporcionaram shows incríveis e, claro, a organização do Sampa Jazz Fest que, apesar de estar em sua primeira edição, foi impecável. Um trabalho realizado por dezenas de mãos e que plantou mais uma sementinha para gerarmos mais negócios com a música brasileira", conclui Leandro.