NOTÍCIA


APAP 2013

11/01/2013

Durante os próximos dias, de 11 a 15 de janeiro, a cidade de Nova Iorque sediará o primeiro grande evento de música do ano, a APAP. A conferência de 2013 oferece formatos de espaço aberto, sessões de diálogo interativo, fóruns e consultas com especialistas.

E, como mencionado em posts anteriores, a equipe do BRMusicExchange representado por David Mcloughlin e Robert Singerman, juntamente com representantes da indústria da música brasileira, estarão reunidos ao redor do Hilton NY para discutir temas ligados à indústria da música e negócios.

Para os interessados ​​em trocar informações sobre o negócio da música brasileira, aqui estão alguns dos parceiros do BRMusicExchange que estarão presentes na conferência deste ano:

- Dauton Janota, CEO da PLEIMO, está envolvido com a indústria da música desde os anos 80. A plataforma “Pleimo.com” visa tornar artistas rentáveis para o mercado e descobrir novos talentos para os seus utilizadores. Um SaaS (software as a service) que rentabiliza o artista via streaming ou faz a venda de fonogramas e vídeos, ingressos, merchandising e crowdfunding. Para os usuários, Pleimo é um site one-stop-shop e uma fonte de descoberta de novos talentos. A PLEIMO está sendo lançada mundialmente em 2013 e a Apap é uma oportunidade dela trabalhar com a BM&A, e de ambas conhecerem e começarem a trabalhar com os Estados Unidos e outros profissionais da música em todo o mundo, que estarão presentes no local.

- Representando o Coletivo Chama, coletivo do Rio de Janeiro reconhecido como uma das potências mais criativas da música brasileira contemporânea, estes três artistas serão apresentados na APAP 2013:

Pedro Moraes: elogiado pela NPR.ORG como “um dos 10 artistas que você deveria ter conhecido em 2012″, idealizador e curador da série “Brazilian Explorative Music”, o carioca Pedro Moraes tem excursionado pelos EUA, Europa e Ásia desde 2007. Com seu domínio em ritmos brasileiros e próprios, o guitarrista, compositor e cantor de 33 anos tem se tornado um embaixador desta geração.

Ivo Senra: pianista, arranjador e compositor baseado no Rio de Janeiro, Senra vai apresentar no palco do LPR algumas das explorações que o levaram a ser agraciado com o “Prêmio da Música Brasileira” como produtor musical, na categoria “música eletrônica brasileira”. Com seu trio incomum de Piano (Ivo), violão (Luis Leite) e Sax Barítono (Jorge Continentino), seu projeto “Consciente vs Inconsciente” é um verdadeiro passo em um reino desconhecido dentro do instrumental brasileiro.

Sergio Krakowski: aos 33 anos, Sergio Krakowski é considerado um dos melhores tocadores de pandeiro do mundo. Atravessando barreiras nacionais e culturais, ele desenvolveu uma série de técnicas novas e aplicou-as a partir de Choro fundamental para Jazz completo soprado e Música Contemporânea. Além de suas realizações musicais vibrantes, Krakowski, que já dividiu o palco com artistas como Maria Bethânia, Rubalcaba Gonzalo, Lenine, David Linx, João Maria etc, também desenvolveu o Computer Music Phd, software de interação entre computadores e pandeiro que resulta em vídeo e som que transformam suas performances em experiências multimídia únicas.

Ginga P. é uma empresa multi-facetada que atua em várias áreas relacionadas com música e cultura. O slogan “Trazendo a música do mundo até você” descreve o conceito da empresa: promover o intercâmbio cultural e comercial entre Brasil e o mercado internacional, a superação de desafios comerciais, burocrático e logístico com ginga e criatividade. Projetos recentes: Recôncavo Jazz Festival, Santo Antonio Jazz Festival (encabeçado por McCoy Tyner), “Encontros Percussivos — Um diálogo entre a tecnologia e a diversidade musical”, Joshua Redman e Orkestra Rumpilezz Brasil Tour. Em seu terceiro ano na APAP, em 2013 Ginga P. trabalhará em diversas iniciativas relacionadas com o intercâmbio em ambos os sentidos (Brasil – EUA e EUA – Brasil). Isto inclui uma turnê de verão 2013 para a banda Baiana System e um projeto de workshop com o maestro Letieres Leite (Orkestra Rumpilezz) sobre ritmos afro-baianos para orquestras de jazz. Eles também estão a procura de artistas baseados nos EUA para participar das edições de 2013 e 2014 do Festival Santo Antônio Jazz & Jazz Festival Recôncavo. Além disso, distribuirão uma quantidade limitada do CD Bahia Music Export (vol 3).

- Scubidu Música: A Scubidu Música foi criada em 2006 para fornecer uma abordagem abrangente da música brasileira: “nós gerenciamos a carreira de jovens músicos brasileiros, promovemos turnês de artistas estrangeiros em todo o país e lançamos música através de nosso próprio selo”. A empresa conta com uma gestão central brasileira sem esquecer seu foco internacional. Em 2013, Scubidu Música estará presente na APAP pela terceira vez. “Este ano estamos focando principalmente nas tours americanas de Ricardo Herz Trio, na cantora Anelis Assumpção e na Orquestra Brasileira de Música Jamaicana, um grupo que toca clássicos brasileiros com influência da Jamaica”. Com a promoção de turnês bem sucedidas em 2012 (Seun Kuti & Egypt 80, McCoy Tyner, Kymani Marley, Didier Lockwood, entre outros), eles estão novamente à procura de artistas de renome para se apresentar no Brasil no segundo semestre de 2013.

Showcases

E depois de um dia de troca de informações, porque não relaxar ao som de… música brasileira? Como parte do esforço da BM&A em promover a música brasileira para o público internacional durante a APAP, dois eventos musicais foram programados em NY.

Nightclub SOBs será a casa de “Samba Saturday”, com três shows programados para o dia 12. NYChoro, Matuto e Dende & Band são esperados para se apresentar a partir das 19h, trazendo ao público algumas amostras de ritmos mais tradicionais de nossa produção nacional. Para reservas, clique aqui.

Na segunda-feira, 14, o tom é definido pelo experimental. Nomes como Pedro Moraes, Santiago Gabriel, Mozik, Trio Sergio Krakowski, entre outros, subirão ao palco do Le Poisson Rouge dentro do projeto Brazilian Explorative Music.

Apesar de ter tido menos publicidade ao longo das duas últimas décadas, sendo batidas por músicas mais “radio-friendly” e levadas sedutoras, a “Explorative Music” no Brasil está prosperando – e durante esta noite boa parte deste universo se revelará: do jazz brasileiro a outras formas de música instrumental, de composições modernas à música eletroacústica contemporânea.

Em breve aqui no site do BRMusicExchange você, que não pode ir ao evento, saberá tudo o que rolou.