Participantes do BMS 2019, Teto Preto e Rakta, marcam presença no line up do Pop Montreal

Duas bandas brasileiras estão entre as atrações do festival de música independente de Montreal, no Canadá, o Pop Montreal. Os shows das bandas Teto Preto e Rakta acontecem no dia 28 de setembro e são conquistas da última edição do Brasil Music Summit, evento organizado pelo Brasil Music Exchange, projeto de exportação de música brasileira, realizado por meio de uma parceria entre o Brasil, Música & Artes (BM&A) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Ambas as bandas apresentaram showcases durante o BMS e chamaram a atenção do programador do Pop Montreal, Daniel Seligman, que veio ao Brasil a convite do evento.

Para Leandro Ribeiro, gerente do BME, é muito gratificante viabilizar projetos como este que, além de usarem o edital de apoio para shows no exterior, fizeram parte também do Brasil Music Summit. “Isso mostra o quanto estamos no caminho certo.  Nossas ações estão cada vez mais integradas para que uma sempre dê continuidade para a outra, fechando um ciclo de apoio e iniciando a jornada dos participantes no mercado global”, ressalta.

Nesta edição, o festival Pop Montreal completa 18 anos de existência. São cinco dias de apresentações que acontecem entre os dias 25 e 29. A cada edição, mais de 400 artistas se apresentam para público de mais de 60 mil pessoas. Além de shows, os fãs podem conferir concertos, discussões em simpósios, exposições de artes e artes visuais, desfiles de moda, exibições de filmes e festas.

Para Thiago Franco, produtor da banda, o show no festival Pop Montreal é uma convocação para todos os sexos, raças e opções sexuais para o front desse ritual de transformação do luto em luta.”Ter a oportunidade de levar nosso trabalho a lugares tão legais é uma alegria brasileira, que se mistura com desespero”.

Os primeiros trabalhos do grupo Teto Preto  foram lançados pelo selo da festa que acontece em São Paulo, chamada Mamba Negra, o MAMBA rec, em 2016. O EP Gasolina foi prensado em vinil com duas faixas marcantes: “Já Deu Pra Sentir” e “Gasolina”. Na sequência, em 2018, “Bate Mais”, foi o single em antecipação ao primeiro álbum de estúdio completo da banda, chamado Pedra Preta.
O grupo tem entre seus integrantes William Sprocati, trombone e percussão; Savio de Queiroz, produtor e sintetizadores; Laura Diaz, vocalista; Pedro Zopelar é o DJ e Loic Koutana, performista.

Já o som da Rakta é bem diferente: um rock que se aproxima do punk. O trio foi fundado em 2011 e é composto por Maurício Takara na percussão e bateria; Carla Boregas, no baixo e eletrônicos, e Paula Rebellato, no sintetizador e voz.

O grupo paulista tem três álbuns em sua discografia:  Typical Girls (2016), Oculto Pelos Seres (2017) e Falha Comum, lançado este ano.

Confira Gasolina, de Teto Preto:

Confira Ruína, de Rakta:

 

Sobre BME

O Brasil Music Exchange auxilia a exportação de empresas dos mais diversos tipos de negócios da música. Para isso, desenvolve atividades de promoção, imagem e inteligência de mercado, entre outras.

Sobre BMS

Evento com o objetivo de fornecer conteúdo e gerar negócios para profissionais do mercado musical nas áreas de live music, sincronização e music branding. Oferece palestras, workshops, rodadas de negócios e promove shows de artistas brasileiros para impulsionar a posição do país dentro do mercado de música global. Além de profissionais brasileiros, o Brasil Music Summit conta com a participação de especialistas internacionais.