Painel ressalta a importância do supervisor musical

Um dos painéis mais interessantes da Brasil Music Summit: Sync & Music Branding tratou sobre o papel do supervisor musical, dando muitos caminhos e abrindo oportunidades para os brasileiros que quiserem trabalhar na área. A discussão foi moderada por Mário Di Poi, da Inputsom Arte Sonora, e composta por Geoff Siegel, da Fundamental Music, a supervisora musical Marthe-Helene HeraudCaroline Arenas, da Audionetwork , e Luiz Buff, da 1M1 Arte.


Marthe-Helene
falou da necessidade de o supervisor ter uma cultura musical bastante ampla, uma rede de relacionamentos intensa, conhecimento do mercado e muito repertório. Já Luiz destacou a necessidade de ter tudo bem organizado, “deixar sempre tudo colocado no papel e ter tudo bem negociado do ponto de vista jurídico, além de cada um que faz parte da composição”, afirmou.

Carolina e Geoff ressaltaram a qualidade da música brasileira, mas a dificuldade que possuímos em levá-la para fora do país. Para Carolina, “os supervisores musicais do Brasil precisam ser educados que a música boa está aqui. O jazz, por exemplo, é surpreendente. Vocês têm que fazer as coisas acontecerem ao invés de esperar as oportunidades virem”, destacou. Geoff complementou dizendo “o talento musical está aqui, mas ele precisa chegar até Los Angeles”.

Para finalizar o painel, Luiz também falou sobre a importância de conhecer sobre os direitos autorais musicais e como funciona todo o processo. “É necessário ter acesso às ferramentas de pesquisa para saber quem são os donos dos direitos de cada música, pois é muito difícil, às vezes, saber quem são os detentores destes”, disse ele.

Confira fotos do painel:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *